Serviços

Energias renováveis 2

Energias Renováveis


As energias renováveis são formas de produção energética em que suas fontes são capazes de manter-se disponíveis durante longo prazo; em que os recursos não são esgotáveis. Dentre essas fontes de energias renováveis estão a solar, eólica, geotérmica, biomassa e hídrica. Fontes como petróleo, carvão mineral, gás natural e outros são esgotáveis, pois não se regeneram na natureza.

Hidrelétrica é o nome genérico dos empreendimentos energéticos que possuem por finalidade gerar energia elétrica através do aproveitamento do potencial hidráulico de um recurso hídrico. Dependendo do porte da hidrelétrica ela pode ser classificada como: PCH, CGH ou UHE.

  • UHE (Usina Hidrelétrica): Caracteriza-se pela potência instalada maior que 30,0 MW e pelas grandes áreas inundadas;
  • CGH (central geradora hidrelétrica) – Caracteriza-se pela potência máxima instalada, que é de até 1MW;
  • PCH (pequena central hidrelétrica) – Caracteriza-se por possuir potência instalada maior que 1,0 MW e menor ou igual que 30,0 MW; e área total do reservatório menor que 3,0 km² ou 300 hectares.

Devido ao seu menor porte, as CGHs e PCHs são mais baratas de se construir. Além disso causam menores danos ao meio ambiente quando comparadas às Grandes Usinas Hidrelétricas (UHE). Também podem ser instaladas em rios de menor vazão, contribuindo para a descentralização da geração de eletricidade, reduzindo os custos na transmissão da energia.

A ENGBuild realiza estudos de potencial hídrico para verificar a possibilidade de aproveitamento de cursos de água e quedas; bem como de outras fontes de energias renováveis. Também realiza estudos de viabilidade técnica e econômica, garantindo o retorno do investimento no menor tempo possível.

 

GERAÇÃO DISTRIBUÍDA DE ENERGIAS RENOVÁVEIS

 

Geração Distribuída (GD) é uma expressão usada para designar a geração elétrica realizada junto ou próxima dos consumidores, independente da potência, tecnologia e fonte de energia. As tecnologias de GD têm evoluído para incluir potências cada vez menores, que inclui:

  • Cogeradores;
  • Geradores que usam como fonte de energia resíduos combustíveis de processo (Biomassa);
  • Painéis fotovoltaicos;
  • Energia eólica;
  • Biogás;
  • PCHs e CGHs.

Desde 17 de abril de 2012, quando entrou em vigor a Resolução Normativa ANEEL nº 482/2012, o consumidor brasileiro pode gerar sua própria energia elétrica a partir de fontes de energias renováveis ou cogeração qualificada e inclusive fornecer o excedente para a rede de distribuição de sua localidade. Trata-se da micro e da minigeração distribuídas de energia elétrica, inovações que podem aliar economia financeira, consciência socioambiental e auto sustentabilidade.

Os estímulos à geração distribuída se justificam pelos potenciais benefícios que tal modalidade pode proporcionar ao sistema elétrico. Entre eles, estão o adiamento de investimentos em expansão dos sistemas de transmissão e distribuição, o baixo impacto ambiental, a redução no carregamento das redes, a minimização das perdas e a diversificação da matriz energética.

As resoluções normativas ANEEL 481/2012, 482/2012 e 687/2015 introduziram marcos regulatórios da geração distribuída e instituíram o Sistema de Compensação de Energia. Quando a quantidade de energia gerada em determinado mês for superior à energia consumida naquele período, o consumidor fica com créditos que podem ser utilizados para diminuir a fatura dos meses seguintes. De acordo com as novas regras, o prazo de validade dos créditos passou de 36 para 60 meses, sendo que eles podem também ser usados para abater o consumo de unidades consumidoras do mesmo titular situadas em outro local, desde que na área de atendimento de uma mesma distribuidora. Esse tipo de utilização dos créditos foi denominado “autoconsumo remoto”.

 

MODELO DE NEGÓCIO PROPOSTO:

  • Investimento zero, sem qualquer custo ao cliente ou modelo de financiamento;
  • Contrato de locação de sistemas de energias renováveis de duração fixa (10 a 15 anos), conforme legislação brasileira;
  • Serviço “turn-key”, ou seja, executamos todas as atividades: Projeto, aprovação na concessionária, instalação e testes;
  • Serviços de operação e manutenção inclusos (custo zero para o cliente);
  • Instalação em aproximadamente 120/180 dias e entrada em operação após fiscalização da concessionária de energia local.

 

BENEFÍCIOS:

  •  Ações de marketing:

Empresa sustentável;

Ecologicamente correta;

Admirada pelos clientes.

  •  Redução imediata nas despesas de energia elétrica de no mínimo 10%. Porém ao longo do tempo a tendência é que esta economia seja maior.

 

 

Contato